Paulo Ac√°cio Lamounier

Paulo Acacio

Paulo Ac√°cio Lamounier. Foto do seu acervo particular.

 

 

Nascido em Bambuí, Paulo Acácio Lamounier teve a oportunidade de vivenciar intensamente as diversas realidades sociais da cidade. Com apenas 19 anos de idade ele começou a trabalhar no Posto Avançado de Pesquisas Emmanuel Dias, em 1986. Seu contrato inicial era de apenas 3 meses, mas diante de sua competência e da confiança dos chefes, permaneceu no Posto até a aposentadoria.

Paulo desempenhava v√°rias tarefas como auxiliar de servi√ßos de pesquisa, capturando esp√©cimes de Biomphalaria glabrata (para estudos sobre a esquistossomose), de mosquitos (para detec√ß√£o da leishmaniose) e na supervis√£o da cria√ß√£o de barbeiros. Em diversas ocasi√Ķes participou de trabalhos de campo, deslocando-se at√© zonas rurais de Bambu√≠ a procura de barbeiros e usando inseticidas nos ambientes. Paulo narra que em uma dessas jornadas, entre os anos de 1989 e 1990, visitaram resid√™ncia equipada com um grande forno desativado, onde se abrigavam galinhas e cachorros. Ali foram coletados mais de 200 barbeiros para o inset√°rio do Posto. Al√©m disso, na casa abundavam barbeiros debaixo das portas, nos colch√Ķes, etc. Todas as pessoas e os animais estavam infectados com o Trypanosoma cruzi.

Em raz√£o dos servi√ßos prestados pelo Posto aos habitantes da regi√£o, a institui√ß√£o era refer√™ncia entre os moradores. Segundo Paulo, alguns chamavam o local de ‚ÄúSUS de Bambu√≠‚ÄĚ, cuja atua√ß√£o era fortalecida pelas parcerias com a Prefeitura da cidade. Funcion√°rios da municipalidade trabalhavam no Posto, que tamb√©m abrigava laborat√≥rio para atendimento das cidades vizinhas, realizando exames de an√°lise cl√≠nicas, ultrassom e eletrocardiograma. Quando n√£o havia disponibilidade de outros m√©dicos, o pesquisador e m√©dico Jo√£o Magalh√£es atendia quem n√£o fosse paciente chag√°sico.

Tendo em vista a amplia√ß√£o dos servi√ßos prestados no Posto, Paulo buscou aprimoramento profissional, tendo realizado, em 2002, curso t√©cnico em enfermagem. Ele recorda que na institui√ß√£o se realizavam n√£o apenas pesquisas relacionadas a Chagas, mas tamb√©m sobre esquistossomose e leishmaniose, de modo que v√°rios pesquisadores e alunos de mestrado e doutorado frequentavam o local para desenvolver suas investiga√ß√Ķes. Do ponto de vista da estrutura, o funcion√°rio afirma que existiam boas condi√ß√Ķes de trabalho, mas que administrativamente se sentiam um pouco isolados do Instituto Ren√© Rachou e da Fiocruz em geral.

Em raz√£o de sua atua√ß√£o como funcion√°rio do Posto, Paulo era refer√™ncia na cidade, sendo conhecido como ‚ÄúPaulinho do Instituto‚ÄĚ. Por sugest√£o do pesquisador Jo√£o Carlos Pinto Dias, o servidor se candidatou a vereador de Bambu√≠ e foi eleito.

Em 2021, Paulo se aposentou no Posto Avan√ßado¬†de Pesquisas¬†Emmanuel Dias, como T√©cnico em Sa√ļde P√ļblica. Ele conta que sente falta do trabalho e da boa conviv√™ncia com os colegas. Mas que as boas recorda√ß√Ķes e o sentido de realiza√ß√£o profissional compensam qualquer saudade.

 

 

Texto: Natascha Ostos

Apoio:

РDireção IRR

– Projeto Fiocruz Minas, patrim√īnio do Brasil: Hist√≥ria, mem√≥ria, ci√™ncia e comunidade

Agradecimentos: Paulo Acácio Lamounier, pela entrevista concedida à Cláudia Gersen no dia 13/04/2023.